Importância das consultas periódicas ao oftalmologista

Independente da idade ou da saúde física é essencial visitar o especialista regularmente para prevenir problemas de visão

Para manter a saúde dos olhos em dia e prevenir doenças oculares, é necessário manter as consultas ao oftalmologista em dia. O check-up deve ser realizado anualmente.

- Publicidade -Solicitar Cotação!

Mas, em geral, o paciente chega ao consultório já apresentando sintomas comuns de visão, como dores de cabeça, olhos vermelhos, ardência e cansaço.

É importante não deixar a saúde para depois e estar sempre atento aos sinais que o corpo emite, pois uma doença ocular fácil de ser tratada pode se tornar irreversível.

Consulta ao Oftalmologista

Diversos exames de rotina são feitos durante a consulta ao oftalmologista. Eles medem a sensibilidade visual do paciente e constatam precocemente quaisquer alterações na visão que podem resultar em cegueira.

Um exemplo é o exame de fundo de olho, que consegue identificar tumores, acidentes vasculares, diabetes, hipertensão, distúrbios na tireoide, entre outras doenças.

Exames complementares podem ser prescritos, como o de campo visual, a ultrassonografia e tomografia de retina.

Fases da vida

A consulta com o médico oftalmologista é muito importante e deve ocorrer em todas as etapas da vida, pois permite a detecção de doenças oculares, que podem limitar a vida de crianças, adultos e pessoas da terceira idade.

Confira quais são as principais fases e cuide sempre de você e de toda sua família.

Pré-natal

Já na gravidez devem ser iniciados os primeiros cuidados. Por isso, o pré-natal é de extrema importância.

Confira também:  Câncer: tipos de câncer mais frequentes entre as mulheres

Exames pedidos pelo ginecologista e/ou obstetra colaboram na detecção de doenças existentes que podem comprometer a saúde do bebê, como rubéola e toxoplasmose, que podem ocasionar cegueira e problemas neurológicos.

Recém-nascido

O bebê enxerga bem pouquinho ao nascer e sua visão se desenvolve com o passar dos anos.

Já na maternidade ou poucos dias depois de seu nascimento, o bebê deve fazer o ‘teste do olhinho’, que é bem simples e indolor. Ele permite identificar possíveis alterações oculares, detectar catarata e glaucoma congênito, entre outras diversas doenças.

Nos primeiros dias de vida, o recém-nascido pode apresentar olhos vermelhos e lacrimejantes ocasionados pela obstrução do canal lacrimal.

Outras modificações devem ser observadas, como mancha branca na menina dos olhos, olhos grandes ou que não suportam a claridade.

‘Teste do olhinho’ no país

A exigência do exame na triagem neonatal ainda não é uma prática em todo o país, por isso é importante se informar sobre a realização e a gratuidade pelo Sistema Único de Saúde (SUS) de sua cidade.

Operadoras de planos de saúde de âmbito nacional são obrigadas a disponibilizar cobertura para o ‘teste do olhinho’.

Infância

A criança deve fazer uma consulta com o oftalmologista antes do começo do ciclo escolar, justamente quando a visão alcança a maturidade, por volta dos cinco anos de idade.

Porém, se ela reclamar de problemas relacionados à dificuldade em enxergar, a consulta deve ser de imediato.

Confira também:  Saiba como perder peso rápido de forma saudável

É imprescindível observar os principais sintomas de problemas oculares nas crianças: dor de cabeça, mal-estar, lacrimejamento em excesso e olho torto.

Há também outros indícios que devem ser notados: forçar a visão para realizar atividades do dia-a-dia (ler, desenhar, escrever), franzir a testa para enxergar de longe, entre outros.

Etapa escolar

No período escolar, os problemas mais comuns de visão são os refrativos, como miopia, hipermetropia e astigmatismo.

Dentre os principais sintomas, estão desinteresse e dificuldades de aprendizado.

Neste período é fundamental que as consultas ao oftalmologista sejam anuais.

Adolescência

Durante a adolescência, os problemas refrativos podem ser corrigidos com o uso de óculos, lentes de contanto ou por meio de cirurgia para eliminar a doença.

Nesta fase da vida pode surgir o ceratocone, provocando irregularidades na córnea.

Coceira excessiva é o principal sintoma desta doença que não tem cura. O tratamento ajuda a melhorar a visão e diminuir a deformidade da córnea.

Fase adulta

Na fase adulta surgem diversos problemas relacionados aos olhos, como presbiopia (mais conhecida como vista cansada), coceira nos olhos e lacrimejamento.

Estes problemas podem ser resolvidos com o uso de óculos e lentes de contato.

Com o passar dos anos, aparecem patologias mais sérias, como catarata, glaucoma, degeneração macular relacionada à idade, entre outras.

Previna-se

O médico oftalmologista é o profissional preparado para orientar você e toda a sua família sobre a maneira mais adequada de prevenção ou tratamento de possíveis problemas visuais, que podem surgir em diversas etapas da vida.

Confira também:  Acompanhamento médico: Porque é tão importante?

Quanto antes o problema nos olhos é diagnosticado, maiores as chances de o paciente conseguir reverter o quadro.

Por isso, independente da idade ou saúde física, é fundamental fazer consultas periódicas.

Muito mais que prescrever óculos para os pacientes, os exames de rotina são fundamentais para encontrar sinais de doenças e fazer diagnósticos precoces.

Previna-se e viva com mais bem-estar e qualidade de vida.